Vietnã negocia aquisição de caças e aeronaves de patrulha marítima ocidentais

Gripen NG Demonstrator with Iris-T, Meteor and GBU10 - Photographer Katsuhiko TOKUNAGA 15

Gripen NG Demonstrator(Foto: Katsuhiko TOKUNAGA)

As negociações envolvem Airbus, BoeingEurofighterLockheed Martin e Saab.

Com o intuito de reforçar suas capacidades militares, e motivado pelo crescente expansionismo chinês em torno do Mar do Sul da China, chamado pelos vietnamitas de Mar do Leste, o Vietnã está negociando com fabricantes europeus e americanos a aquisição de aeronaves de combate, de patrulha marítima, e drones de monitoramento.

Um importante fabricante de equipamentos de defesa ocidental disse que Hanoi quer modernizar sua força aérea, substituindo cerca de 144 velhos caças MiG-21, reduzindo sua dependência de Moscou para armas.

“Tivemos indicações que querem reduzir a sua dependência da Rússia. A sua crescente amizade com a América e a Europa irá ajudá-los a atingir esse objetivo”, disse uma fonte ligada ao fabricante de defesa.

Nas recentes negociações com a Rússia, o Vietnam adquiriu 12 novos caças Sukhoi Su-30MK2, cuja entrega irá ocorrer ainda em 2015. As novas aeronaves irão completar a frota já existente, composta por 35 unidades do Su-27 e 24 unidades do Su-30MK2. O país já adquiriu três submarinos de ataque russos, e tem mais três para receber, como parte de um acordo de US$ 2,6 bilhões de 2009. Atualizando sua força aérea, o Vietnã seria uma das maiores potências militares do sudeste asiático.

O Secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ash Carter, durante uma visita ao Vietnã, no último domingo, prometeu US$ 18 milhões para ajudar Hanoi a comprar barcos de patrulha produzidos nos EUA.

Um eventual negócio com a Lockheed ou a Boeing, entretanto, representaria o acordo mais significativo envolvendo fornecedores americanos desde que Washington começou a aliviar um embargo de longa data sobre a venda de equipamento militar ao Vietnã.

Questionado pela Reuters a respeito dessa mudança, sem precedentes, no direcionamento das aquisições militares, o Ministério da Defesa do Vietnã repassou aos fabricantes envolvidos os questionamentos recebidos.

A Boeing, sem dar maiores detalhes, afirmou que possui plataformas aéreas de “inteligência, vigilância e reconhecimento” que podem atender às necessidades de modernização do Vietnã. Os demais fabricantes não se manifestaram sobre o assunto.

A colocação de uma plataforma chinesa de extração de petróleo em águas reivindicadas pelo Vietnã, no ano passado, por mais de dois meses, enfureceu os vietnamitas e ressaltou a necessidade do país costeiro de atualizar suas capacidades de patrulha marítima.

Apesar do orçamento militar do Vietnã ser um segredo de Estado, os dados compilados pelo Instituto Internacional de Pesquisas para a Paz de Estocolmo (SIPRI – Stockholm International Peace Research Institute) apontam para o montante de US$ 3,4 bilhões, referente a gastos com a defesa em 2013, o que equivale a mais que o dobro do valor gasto na década passada. Especialistas acreditam que o valor real seja ser muito maior.

Gripen NG Demonstrator with Iris-T, Meteor and GBU10 - Photographer Katsuhiko TOKUNAGA 13

Gripen NG Demonstrator(Foto: Katsuhiko TOKUNAGA)

De acordo com as informações apuradas pela Reuters, o Vietnã estaria interessado no caça de 4ª geração Gripen E, além dos turboélices Saab 340 ou Saab 2000, que seriam equipados para as funções de patrulhamento marítimo e alerta aéreo antecipado.

Saab-2000-Saab-340-Erieye-AEWC

Saab 2000 Erieye AEW&C e Saab 340 AEW&C (Foto: Saab)

Existe também o interesse pelo Typhoon, fabricado pelo consórcio europeu Eurofighter, e pelo F/A-50, um caça leve desenvolvido em conjunto pela Coreia do Sul e a Lockheed Martin.

Eurofighter Typhoon weapons load

Eurofighter Typhoon (Foto: Eurofighter)

AIR_FA-50_Prototype_KAI_lg

Korea Aerospace Industries / Lockheed Martin F/A-50 (Foto: KAI)

Uma aeronave também ofertada foi o Sea Hercules, a variante de patrulhamento marítimo do avião de transporte C-130 da Lockheed Martin.

sc-130j

SC-130J Sea Hercules (Renderização: Lockheed Marton)

Sobre as negociações com a Boeing, especula-se que a oferta envolveria equipar um jato executivo com uma versão modificada dos sistemas de vigilância marítima que equipam o P-8 Poseidon, sem a capacidade anti-submarino.

Bombardier Canadair Challenger 604, Challenger, CL604, CL-600-2B16, N614BA, c/n 5614, Boeing Company, MSA, Maritime Surveillance Aircraft, Field Aviation, Toronto Lester B. Pearson International Airport, YYZ/CYYZ, February 28 2014, First Flight, © copyright 2014 Field Aviation, Field Aviation, 2450 Derry Road East, Hangar 2, Mississauga, Ontario, Canada L5S 1B2. +1.905.676.1540, photograph by Andrew H. Cline, 416-209-2669, andrew.cline@sympatico.ca

Boeing MSA (Maritime Surveillance Aircraft), aeronave de patrulha marítima baseada em um Challenger 604 (Foto: Andrew H. Cline, Boeing)

O Vietnã também estaria interessado na aquisição de drones de vigilância, desarmados, e, para tanto, está sondando o mercado, junto a fornecedores ocidentais e asiáticos.

Já há algum tempo, o Vietnã tem se distanciado lentamente da Rússia. Esta situação se evidencia com a aquisição de aviões anfíbios Twin Otter, produzidos no Canadá, aeronaves de patrulha marítima Airbus C212, para sua guarda costeira, além de aviões de transporte Airbus C295.

C295 AEW and C295 Transport80818

Aeronaves de alerta aéreo antecipado C295AEW e de transporte C295 (Foto: Airbus)

Nas negociações com a Airbus, o fabricante europeu também estaria tentando emplacar sua aeronave de patrulha marítima e alerta aéreo antecipado, ambas baseadas no C295. Além disso, a Airbus Helicopters realizou conversações preliminares com os militares vietnamitas a fim de ofertar seus produtos.

Apesar laços cada vez mais amistosos com Washington, alguns especialistas disseram que o legado da Guerra do Vietnã pode fazer com que Hanoi seja cauteloso sobre a compra mais significativa de armamentos americanos, o que daria à Suécia uma vantagem.

“Não há nenhum viés ideológico (no Vietnã) com a Suécia”, afirmou Tim Huxley, diretor-executivo do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos na Ásia.

“Do ponto de vista econômico, o Gripen E pode se constituir em uma oferta vantajosa, sem contar que a proposta da Saab também pode contemplar aeronaves de patrulha marítima e alerta aéreo antecipado.  

Se as tensões com a China, entretanto, aumentarem, para o Vietnã não haverá melhor alternativa do que se aliar, de forma mais ampla, aos EUA, e isso, obviamente, implica em uma aquisição significativa de equipamentos militares daquele país.

“Ao mesmo tempo que o Vietnã está interessado em se aproximar dos EUA, não existe qualquer interesse em prejudicar ainda mais as já conturbadas relações com a China”, disse uma fonte, na condição de anonimato.

“É preciso haver uma abordagem equilibrada e gradual nesse aspecto”


FONTE: Reuters Canadá – Edição: CAVOK

IMAGENS: Meramente ilustrativas

COLABOROU: Giordani

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s